jusbrasil.com.br
22 de Setembro de 2021
    Adicione tópicos

    Mulher que facilitava encontros com a filha de oito anos e autor de abusos são condenados

    Wagner Brasil, Advogado
    Publicado por Wagner Brasil
    há 8 dias

    Se gostar dessa notícia, siga este canal e minhas redes sociais para ter acesso a mais conteúdos sobre Direito Penal e Direito Eleitoral.

    Site: https://www.wagnerbrasil.adv.br/

    Facebook: https://www.facebook.com/wagnerbrasil.adv

    Instagram: https://www.instagram.com/wagnerbrasil.adv

    Linkedin: https://www.linkedin.com/in/wagner-brasil-1459581bb/


    Isolamento decorrente da pandemia pode ter dificultado denncias de violncia contra crianas - Jornal Opo

    O juízo da 1ª Vara Criminal da comarca de Blumenau, no Vale do Itajaí, condenou a 37 anos de reclusão uma mulher que submetia à prostituição a filha de oito anos, promovendo e facilitando encontros com um idoso. O autor dos abusos foi condenado a 24 anos, cinco meses e 10 dias de reclusão. As penas são em regime inicial fechado.

    Segundo denúncia do Ministério Público, após os atos libidinosos praticados entre 2020 e 2021, o homem pagava em espécie ou comprava alimentos, gás, roupas, presentes e outros objetos para a mãe da vítima. Ele também teria praticado atos sexuais com a criança sem o uso de preservativos. Os abusos ocorriam na residência da vítima e do réu, enquanto a mãe aguardava o ato.

    Após denúncia anônima, fotografias e vídeos dos atos praticados contra a menina foram localizados no celular do homem. Ele foi condenado pelos delitos de estupro de vulnerável; de filmar cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente; bem como de armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro com cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente.

    Aos réus foi negado o direito de recorrer em liberdade, uma vez que suas prisões ainda são necessárias para a garantia da ordem pública. Os dois foram presos preventivamente em março deste ano, em Blumenau. A decisão do juiz Eduardo Passold Reis foi prolatada nesta sexta-feira (10/9) e é passível de recurso. O processo tramita sob sigilo.

    Fonte: Tribunal de Justiça de Santa Catarina


    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)